Entre as estratégias está o aumento no número de lixeiras nas barracas e de caçambas para recolhimento dos resíduos


Com foco na alta temporada do verão, que começa daqui um mês, o Ministério Público Federal (MPF) definiu novas estratégias para manutenção da limpeza das praias de Cabo Frio, no Rio de Janeiro, junto a comerciantes e à prefeitura. Em reunião promovida pelo órgão na última terça-feira (21), na Praia do Forte, barraqueiros e vendedores ambulantes da região se comprometeram a disponibilizar três lixeiras em sua área e uma lixeira em cada mesa, além de limpar sua ‘praça’ ao final do dia. A Companhia de Serviços de Cabo Frio (Comsecarf) também deverá dobrar o número de caçambas disponíveis para a coleta dos resíduos, a fim de evitar o acúmulo de lixo e danos ambientais.


O procurador da República Leandro Mitidieri afirmou que a iniciativa faz parte do projeto MPF Praia Limpa, que o órgão conduz há anos na Região dos Lagos (RJ). Na reunião, foram discutidas ainda outras medidas sobre o ordenamento das praias e o combate a veículos automotores nas areias.


De acordo com dados da Secretaria Municipal de Turismo, Esporte e Lazer, Cabo Frio deve receber cerca de 2 milhões de pessoas durante a alta temporada 2023/2024 – aumento de 15% em relação ao mesmo período do ano passado, quando 1,5 milhão de pessoas circularam pela cidade entre dezembro e março. Cabo Frio é a sétima cidade mais antiga do Brasil. Além das praias de águas cristalinas e areias brancas, o lugar é conhecido mundialmente por seus atrativos naturais, históricos e culturais.



Da redação

Deixe seu Comentário