No dia 30/01, às 14 horas, a 2ª Vara Criminal de Armação dos Búzios sediará a primeira Audiência de Instrução e Julgamento do caso de feminicídio envolvendo a argentina Florência Aranguren.


Nesta etapa, serão colhidas as declarações e interrogadas as testemunhas, seguindo a ordem da acusação e defesa. Posteriormente, peritos esclarecerão, ocorrerão acareações, reconhecimento de pessoas e coisas, seguidos do interrogatório do acusado e, por fim, as alegações.


A decisão do Tribunal Popular pode resultar em pronúncia, impronúncia, desclassificação ou absolvição sumária. A pronúncia encaminha o caso para julgamento pelo Tribunal do Júri, indicando convicção na materialidade do crime e indícios de autoria.


A família da vítima contratou a advogada buziana Carla Policarpo, especialista em Direito Criminal e crimes contra mulheres, como assistente de acusação atuando junto ao Ministério Público. 


A expectativa é que o acusado seja levado ao Tribunal do Júri, enfrentando pena máxima de até 30 anos.


"Acreditamos que um criminoso com antecedentes graves não deve conviver em sociedade, podendo ceifar outras vidas sem arrependimento", afirmou Dra. Carla Policarpo, advogada da família.


Por @bebetokarolla

Deixe seu Comentário